Artigos

Combate as queimadas será feito de forma integrada em Mato Grosso

O Governo do Estado vai trabalhar de forma integrada para diminuir os números de focos de calor no Estado, destacaram os secretários de Meio Ambiente, Luís Henrique Daldegan; e da Casa Civil, Eumar Novacki no encerramento nesta quinta-feira (12) da Oficina de Elaboração do Programa de Prevenção, Controle e Combate às Queimadas e Incêndios Florestais, realizada esta semana, em Cuiabá.



Junto com o coordenador do MT Regional – entidade que reúne 15 consórcios de desenvolvimento - José Aparecido dos Santos, que também preside a Associação Matogrossense dos Municípios (AMM), o secretário da Casa Civil disse que o governo vem fazendo um grande esforço no sentido de mobilizar secretarias, órgãos, prefeituras municipais e a população, para que cada um assuma as suas responsabilidades na prevenção, controle e combate às queimadas no estado. "Estamos diante de uma questão bastante séria, que precisa ser tratada com responsabilidade. Vamos mobilizar todos os segmentos nesse trabalho, com a participação da sociedade e o apoio das prefeituras municipais", disse Novacki.



No evento, Daldegan anunciou que a Sema inicia nos próximos dias, junto aos proprietários rurais, assentamentos e fazendas, um trabalho de orientação sobre o período proibitivo de queimadas. O período que se inicia no próximo dia 15 de julho vai até 15 de setembro, podendo esse prazo ser prorrogado dependendo das condições climáticas.



Junto aos proprietários rurais a Sema vai orientar a respeito da aplicação de multas e uma série de outras ações preventivas. "Esse é um trabalho que vem sendo realizado desde o início do ano pela a secretaria, através de educação ambiental, capacitação, monitoramento via satélite e outras ações preventivas", explicou Daldegan.



Também na próxima semana, a secretaria testa mais uma vez o uso do pó químico Licet/F, que funciona como uma barreira, impedindo que o fogo se alastre. Esse produto foi testado em uma queima autorizada e controlada na Usina Itamarati, no município de Nova Olímpia (207 km a Médio-norte de Cuiabá), no início deste mês.



Para este ano, entre as novidades que serão colocadas em prática no monitoramento, prevenção e controle de queimadas no estado, está o incremento do trabalho de aviação. Segundo o coordenador de Gestão do Fogo, major BM Hector Péricles de Castro, além do helicóptero, utilizado para o transporte de bombeiros e equipamentos e também monitoramento, poderão ser utilizados aviões agrícolas, para auxiliar os bombeiros no combate ao fogo.



Focos de Calor – Este ano, segundo dados do INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais -, até esta sexta-feira (13), o número de focos de calor registrados em todo o Brasil somam 4.835, sendo 439 em Mato Grosso. No ano passado, o INPE registrou no estado 1.648 focos de calor.



Dos 439 focos registrados no estado até agora, em Tangará da Serra foram registrados 48; em Tapurah, 45; em São José do Rio Claro, 28; em São Félix do Araguaia 23 e em Gaúcha do Norte, 25 focos de calor.



Oficina- A Oficina iniciada na última terça-feira reuniu integrantes do Comitê de Gestão do Fogo para definir o planejamento estratégico para a prevenção de queimadas em Mato Grosso e, criação da proposta de um Programa Estadual de Prevenção, Controle e Combate de Queimadas e Incêndios Florestais.



Fonte: SECOM-MT