Notícias

Secretarias de Meio Ambiente flagram pesca predatória no rio Teles Pires em Sinop

 Happy Dog Picture

Secretarias de Meio Ambiente flagram pesca predatória no rio Teles Pires em Sinop Foto: ASCOM INSTITUTO AÇÃO VERDE

Uma ação conjunta de educação ambiental realizada pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente, regional Sinop, resultou em flagrantes de pesca predatória no rio Teles Pires, ontem. Desde 1º de outubro vigora a Piracema nas bacias hidrográficas do Paraguai, Amazônica e Araguaia-Tocantins em Mato Grosso.

De acordo com a assessoria, pontos de fixação permanente de ceva foram encontrados em pesqueiros. Molinetes, rede, linhadas, amarras, entre outros itens, acabaram apreendidos pelos agentes ambientais, além do flagrante de pesca durante o período proibitivo de defeso.

Conforme explica a secretária municipal Luciane Bertinatto, a ação do grupo objetivou atuar em frentes de limpeza e retirada de lixo e resíduos do rio Teles Pires e margens. Garrafas plásticas, latas de bebida alcoólicas, sacos plásticos, vidros, tambores de plásticos foram recolhidos. "Observamos que tem muito material como isopor, plástico, galão. É um problema, pois isso no rio pode causar sérios danos ambientais. A consciência do cidadão é a parte mais importante do processo. Se queremos continuar com esta beleza que temos é preciso que a conservemos", destacou Luciane.

A maior parte dos materiais foi retirada das regiões onde ficam os pesqueiros instalados às margens do rio Teles Pires. "Já na primeira hora de fiscalização e limpeza do rio nos deparamos com pescador, fizemos apreensão do molinete, da vara e foi lavado um auto de infração", expõe Sandro Depiné, diretor regional da Sema em Sinop.

Em outra embarcação, servidores da secretaria de Meio Ambiente e o Instituto Ação Verde realizavam a retirada das cevas fixas instaladas no rio. Como explica o coordenador da Ação Verde em Sinop, Anderson Eduardo Wagner, o uso deste método, que consiste em uma forma de ampliar a concentração de cardumes de peixes, geralmente pela oferta vasta de alimento como a soja, é proibido por lei, quando há fixação permanente.

O trabalho foi realizado durante ontem de manhã e mobilizou parceiros como as Secretarias Municipais de Obras e Serviços Urbanos (SOSU), Desenvolvimento Econômico (SEDEC), o Instituto Ação Verde, Jeep Clube Sinop e Corpo de Bombeiros.