Notícias

Secretário de Meio Ambiente participa de eventos na Polônia

MARIA BARBANT E JEAN-OLIVIER DALPHOND
Assessoria/Sema-MT e Assessoria Local Governments




O secretário de estado do Meio Ambiente, Luis Henrique Daldegan, viajou neste final de semana para Poznan, Polônia, onde participará – até o dia 12.12 -, dos eventos da COP-14, a megaconferência da Organização das Nações Unidas sobre mudanças climáticas. Essa é a reunião mais importante do ano para a questão e,uma clara mensagem será enviada no evento: as ações relacionadas às mudanças climáticas devem tornar-se parte de estratégias nacionais.




Uma das questões em evidência na reunião já vinha sendo discutida desde a Conferência Climática da ONU 2007, realizada em Bali: a participação dos governos municipais nas ações visando a redução dos gases de efeito estufa. Em 2007, o Prefeito de Nova York, Michael R. Bloomberg, falou para os governos locais alertando que "as cidades do mundo, que representam 80% da produção de gases, com efeito, estufa, devem reconhecer que a inacção não é uma opção. Resultados e não ideologia, é o que importa para nós ".




Desde 2007, as cidades têm espelhado o Clima das Nações Unidas defendendo uma acordo climático abrangente pós-2012, o que irá determinar a próxima fase do que é atualmente Protocolo de Quioto.




Cidades e governos locais no mundo inteiro têm um forte histórico de voluntariado em relação às ações climáticas locais. As Nações devem reconhecer e tirar partido destas contribuições locais sobre o clima através de parcerias estratégicas com os seus governos municipais. Essas parcerias devem incluir o empoderamento, a capacidade, recursos e mais fácil acesso a financiamentos.




"Os governos nacionais podem obter um apoio substancial para a redução de GEE e atingir as suas metas, se capacitar municípios para agir sobre o clima. Eles estão bem aconselhados para reconhecer a ação local em seus planos nacionais sobre clima ", disse Daldegan.




Os governos locais estão empenhados em contribuir: Prefeitos de todo o mundo estão assinando acordos comprometendo-se a uma redução dos gases de efeito estufa em 60% relativamente aos níveis de 1990 e em 80% relativamente aos níveis de 1990 nos países industrializados. "É muito simples, sem cidades e governos locais, os governos nacionais não serão capazes de atingir suas metas e cumprir os seus compromissos ", disse Bärbel Dieckmann, presidente da Câmara Municipal de Bona (Alemanha).




A medida que o nível de governo se aproxima dos cidadãos, podem ser aceleradas as mudanças comportamentais dentro da sua comunidade e a condução e implementação de ações eficazes. É nas cidades que se encontra 50% da população do mundo e onde até 80% do total de energia é consumido. As cidades são altamente vulneráveis aos impactos das alterações climáticas, particularmente ao rápido crescimento nos países em desenvolvimento. É tempo de os envolver.




Também participam da COP-14 o secretário adjunto de Mudanças Climáticas, Salatiel Araújo e Maurício M. Philipp, Coordenador de Mudanças Climáticas da Sema.